Menu
joão pessoa notícias: notícias da paraíba e Brasil mundo entretenimento política e muito mais
Para ouvir nossa rádio, baixe o aplicativo RadiosNet para celulares e tablets com Android ou iPhone/iPads.

Unicam e Abcam não assinam acordo e defendem manutenção da greve

25 MAI 2018
25 de Maio de 2018
Das 11 entidades representantes dos caminhoneiros, Unicam e Abcam foram as únicas a não assinarem o acordo com o governo federal

Duas das 11 entidades de caminhoneiros que participaram da reunião com os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria do Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes) recusaram a proposta do governo. A União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam) e a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) não assinaram o documento.

O presidente da Abcam, que representa 700 mil caminhoneiros, José Fonseca Lopes, deixou a reunião no meio da tarde e disse que continuará parado. “Todo mundo acatou a posição que pediram, mas eu não. […] vim resolver o problema do PIS, do Cofins e da Cide, que está embutido no preço do combustível”, disse Lopes.

Após o anúncio do acordo, alguns caminhoneiros publicaram vídeos nas redes sociais defendendo a manutenção da greve, assim como representantes das entidades que não assinaram o acordo.

Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria do Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes) se sentaram à mesa com representantes dos caminhoneiros decididos a ter um respiro na paralisação, que afeta distribuição de produtos em todo o país.

Os representantes dos caminhoneiros pedem o fim da carga tributária sobre o óleo diesel.

postado por: redação/Murilo/T5
Voltar
Tenha também o seu site. É grátis!